fbpx

Conheça como diferenciar as quelóides das cicatrizes hipertróficas

O processo de cicatrização acontece naturalmente quando a pele é lesada por algum ferimento ou procedimento cirúrgico. E durante as etapas deste processo, que você pode conhecer um pouco mais acessando este link, pode acontecer a produção excessiva de colágeno resultando em cicatrizes hipertróficas ou quelóides dependo do histórico familiar. 

Além das etapas da cicatrização, precisamos conhecer também os períodos em que ela ocorre e o que significa cada um deles.

No período conhecido como imediato é considerado os primeiros 30 dias após a cirurgia. Neste dias a percepção da cicatriz é mínima, mas em alguns casos é comum desenvolver algum tipo de reação ao curativo. 

Em seguida, deste dia até o 12º mês, período que chamamos de mediato, é quando a cicatriz começa a ganhar volume e a perder o aspecto avermelhado. A tendência é a assumir tons marrons que clareiam conforme o tempo. 

Já no período tardio, que vai até o 18º mês após o procedimento cirúrgico, a cicatriz estagna com a sua diminuição e tons mais claros. 

Mas qual é a diferença entre quelóides e cicatrizes hipertróficas, afinal?

O que é a cicatriz hipertrófica? 

A cicatriz hipertrófica ocorre quando o fibroblasto, célula constituinte do tecido conjuntivo que sintetiza as proteínas colágeno e elastina, age na produção excessiva do colágeno. Com este constituinte extra na pele, ele tende a formar um relevo exatamente sobre a superfície de onde o tecido está lesado. 

O resultado é um pele disforme marcada pela cicatriz. No entanto, esse tipo de cicatrização tende a diminuir com o passar dos meses de forma espontânea e possui opções de tratamento mais simples para auxiliar nesta regressão.

O que é a quelóide? 

A quelóide, assim como a cicatriz hipertrófica é o resultado da produção anormal de colágeno quando a pele sofre incisões ou ferimentos. Quando em estado constante de crescimento, o relevo disforme sobre a pele atinge também o tecido epitelial saudável, além da pele lesada. 

A quelóide pode surgir em qualquer parte do corpo, sendo mais fácil o seu desenvolvimento em áreas onde existe menos tecido adjacente de gordura. Quelóide nas orelhas, no rosto e no pescoço é bastante comum. Além disso, a quelóide pode doer, já que apresenta sensibilidade maior em relação a outros tipos de cicatrizes

Facilmente reconhecida pelo seu aspecto desagradável, o surgimento da quelóide se deve a fatores genéticos, ou seja, ela estará presente no paciente sempre que houver pele lesionada. Isso pode ser evitado através de tratamentos específicos e mais complexos, porém possíveis. Saiba como evitar as quelóides aqui!

As principais diferenças entre cicatrizes hipertróficas e quelóides: 

Resumindo, as principais diferenças entre quelóides e cicatrizes hipertróficas são:

  • Hipertrófica diminui espontaneamente enquanto a quelóide cresce;
  • A quelóide ocupa espaço de pele saudável e hipertrófica surge apenas sobre a parte lesada do tecido; 
  • A quelóide causa maior sensibilidade em relação a cicatriz hipertrófica

É importante lembrar que cada cicatriz é única, assim como o organismo de cada paciente e, por isso, o tratamento é personalizado para atender individualmente. É só marcar uma consulta com seu médico cirurgião para que juntos possam traçar uma estratégia adequada para o tratamento de quelóide

Esperamos que este post tenha respondido suas dúvidas, mas caso tenha outras, entre em contato ou comente aqui que nós te ajudamos. 

Aqui em nosso blog você encontra diversas informações sobre procedimentos cirúrgicos, dicas e novidade. Continue acompanhando e até a próxima!